segunda-feira, maio 30, 2005

As Escolhas do Jonas - A Ameaça Fantasma

3,
2,
1,
we have lift off!

E começa assim a minha coluna semanal de comentários intitulada "As escolhas do Jonas". Antes de mais, começo por dizer que este espaço de discussão semanal sobre vários temas de extrema importância para o povo português (a actuação do actual e anteriores governos de Portugal, os atrasos nos processos judiciais, quando é que alguém decide dar cabo do filho da mãe que inventou a Quinta das Celebridades, quando é que o José Castelo Branco se suicida, enfim, questões de importância nacional indiscutível) não procura de algum modo competir com programas do mesmo cariz agora apresentados pela RTP, tais como "As escolhas de Marcelo", "As notas soltas de Vitorino" ou o ainda mais famoso "Um contra todos".

Para começar, penso que esta semana ficou naturalmente marcada a nível desportivo. De facto, em todos os noticiários da televisão assim como nos jornais só se falou na grande notícia desportiva do ano. Até a revista Maria, o Tal & Qual e a revista Gina reservaram grande parte do seu espaço para falar sobre o grande campeão.
Naturalmente que falo da grande vitória do Paços de Ferreira na Divisão de Honra. Após um longo ano de sacrifícios, o Paços assegurou a presença na Superliga do próximo ano, juntamente com o Naval e o Estrela de Amadora. Parabéns, Paços. No entanto, a maior surpresa foi a permanência na Divisão de Honra do Santa Clara e do Alverca que pareciam estar condenados a mais uma descida. Um outro pormenor a realçar é a descida do Gondomar. Pelos vistos a libertação tardia do major Valentim Loureiro impediu-o de dar o seu contributo (saladas de fruta e rebuçadinhos ao estilo do Pinto da Costa) ao clube nortenho.

Uma outra notícia de destaque é o aumento de casos de alergia e de rinites devido a uma grande nuvem de pó que assentou no nosso país a partir do Domingo passado. Pelos vistos o pó acumulado em 11 anos (ou como certas pessoas - de cor vermelha - dizem, 10 anos inclusivé) em certo tipo de cachecóis guardados no armário teve oportunidade de ser libertado por todo o país. Aparentemente, apenas na Avenida dos Aliados no Porto não se verificou a presença desta perigosa nuvem de pó (os últimos estudos científicos procuram determinar se esta nuvem poderá ser cancerígena ou não). No entanto, parece que esta verdadeira ameaça fantasma desapareceu neste domingo por todo o país para felicidade de todas as pessoas alérgicas, embora se tenha verificado um levantamento de um temporal na região da foz do rio Sado. Uma última nota desportiva: o Benfica foi campeão. Agora só tenho uma dúvida, a quem é que eu tenho de felicitar? Não sei se felicito a comissão de arbitragem ou o próprio Deus. É que isto é um milagre à moda antiga, apenas comparável à divisão do Mar Vermelho em dois. Até penso que o próprio Papa está a olhar com atenção para Portugal a ver se Deus actuou por meios misteriosos.

Mas a vida não é só desgraças; ainda no ano passado nos livrámos do Durão e recebo a excelente notícia esta semana de que acabamos de recambiar o Guterres para a ONU. Se calhar é por isso que não se parou de ouvir foguetes no passado Domingo.
E assim termino a minha participação semanal, desejando a todos as melhoras deste ataque da nuvem de pó.


Continência e tal,
Jonas

P.S. Será que sou o único que estranha que tenha sido divulgado o valor de 6,83% do défice nacional no dia seguinte à vitória do Benfica do campeanato? Exactamente quando 6 milhões de Portugueses (contagem não oficial) estavam de ressaca. Isto é mais um caso para o Mulder e a Scully.