sexta-feira, agosto 26, 2005

... namorar tem mais a ver com Física ...

Solteiros namoradeiros ajudam casais fracos
física Átomos explicam relacionamentos

A ideia de que o amor é uma questão de química foi abalada por um investigador da Universidade de Oxford, que defende que namorar tem mais a ver com Física. Partindo do modelo de átomos, estudou como as pessoas sós procuram companheiro e conclui que os solteiros que têm muitas relações curtas têm um efeito positivo na vida dos outros.

As conclusões de Richard Ecob são surpreendentes. Por exemplo, as pessoas muito namoradeiras ("super daters") ajudam os "casais fracos" a romperem, forçando, dessa forma, as "vítimas" a procurarem melhores relações.

O investigador elaborou um modelo para estudar o fenómeno com base no comportamento do átomo em queda e construiu uma rede social imaginária, onde os solteiros procurariam potenciais parceiros.

As pesquisas sugerem que quem tem diversos relacionamentos é menos eficaz a encontrar a pessoa certa em comparação com aqueles que procuram menos e deixam que os outros venham ao seu encontro.

Outra descoberta de Richard Ecob é que ter ou não as mesmas preferências pode não ter grande influência no sucesso de uma relação. De acordo com o autor, ter interesses muito diversificados não influencia a capacidade de namorar.

IN JN (22 de agosto de 2005):
http://jn.sapo.pt/2005/08/22/sociedade/
solteiros_namoradeiros_ajudam_casais.html